A mídia do centro do país tem encoberto as verdadeiras ações do Governo Federal. O corte de verbas bilionárias de publicidade e patrocínios despertou a ira de quem surfava na onda de grande verbas e poder de influência. As redes sociais mudaram isto e as grandes empresas de comunicação ainda não evoluíram a ponto de entender a mudança de comportamento que estas mesmas mídias incentivaram. Mas o pior de tudo é dar publicidade de algo nefasto e contrário ao propósito de bem informar. Nesta guerra de comunicação erra o governo por não saber se comunicar ao grande público, mas pior é a mídia que combate um governo por verbas publicitárias e nem se importando com o jornalismo sério e competente que todos os veículos possuem, mas não estão assim o fazendo.

Desta maneira a mídia faminta de verbas fez o pior na pandemia causando medo e terror na população e estimulando os pequenos ditadores estaduais que foram autorizados pelos ministros ativistas do STF. Assim ficamos estarrecidos com a anulação dos processos do maior ladrão da pátria, mesmo com tantas condenações por juízes de carreira e milhares de páginas de provas e confissões. Tanto é assim que um só elemento devolveu 100 milhões de reais espontaneamente à Justiça por ser de propina recebida. Isto sem falar de outros tantos casos. Há também a notícia de que José Dirceu, cabeça pensante do PT estaria chantageando ministro do STF e isto foi parar nas mídias sociais em denúncia do ex-deputado Roberto Jefferson. Mas nada disso importa e os holofotes se voltam a uma grupelho de sete abomináveis membros de uma CPI de bandalheira que não querem investigar os roubos em seus estados e até cometidos por parentes destes, como é o caso de Renan Calheiros e Omar Aziz.

Esta cortina midiática formada pela CPI de sete miseráveis falcatruas permite que na calada da noite tenha a Câmara dos Deputados aprovado na Lei de Diretrizes Orçamentária de 2022 um orçamento de 6 BILHÕES para a campanha política do próximo ano. O valor é 300% do que tiraram do orçamento público para a campanha de 2020 para prefeitos e vereadores que foi de 2 bilhões, isto em plena pandemia. Estão estes senadores e deputados preocupados com a pandemia e as mais de 500 mil mortes que dizem ser todas de Covid? Imaginem estes recursos distribuídos a hospitais filantrópicos de todo o país, o salto de qualidade que proporcionaria no atendimento do SUS e aparelhamento moderno aos hospitais. Ouvir o ladrão presidente da CPI Omar Aziz dar discurso de proteção à mulher, de que o presidente motoqueiro não se dedica a visitar pessoas em hospitais ou a famílias que tiveram perdas. Ditas por alguém que está sendo investigado por desvios de R$ 260 milhões, justamente no estado em que foi governador, é Senador e teve a família presa é de merecer total descrédito. É o roto falando do esfarrapado Renan Calheiros.

Enquanto estes estão no picadeiro do circo da CPI o presidente da Câmara Arthur Lira anuncia que trocará de partido visando ser candidato a presidente. Por isso não é a toa que a verba de 6 bilhões tenha sido aprovada sem qualquer pudor com a velocidade que nenhuma reforma teve a devida atenção.

A cortina da CPI não permite à população enxergar a fundo o golpe que estão a promover para tomar de assalto o governo federal. Mas a astúcia destes senadores pode estar indo longe demais buscando envolver as Forças Armadas nas artimanhas e maracutaias políticas. Que se descortinem o traiçoeiros da nação.