Iniciou no último sábado (21), o período para as pessoas que tiveram o auxílio emergencial negado, revogarem a decisão. Isso é válido apenas para os beneficiários do programa Bolsa Família que passaram a receber o auxílio emergencial de R$ 600 e a extensão de R$ 300, mas tiveram o pagamento cancelado. O pedido de revisão pode ser feito até a próxima segunda-feira (30). Inicialmente ele poderia ser feito até o próximo dia dois de dezembro.

O Ministério da Cidadania também alterou o prazo de contestação para os beneficiários que não são do Bolsa Família. Que recebeu as cinco parcelas do auxílio de R$ 600 e foram considerados inelegíveis para ganhar a extensão têm até o próximo domingo (29), para fazer a contestação. Vale ressaltar que o prazo de contestação daqueles que receberam uma ou mais parcelas do auxílio de R$ 300 se encerrou no domingo (22).

Como contestar? Para realizar o pedido de contestação não é necessário se dirigir a nenhuma agência da Caixa, lotérica ou posto de atendimento do Cadastro Único. É preciso: Acessar o site da Dataprev (consultaauxilio.dataprev.gov.br); Fazer o login; Clicar no botão “Acompanhe sua solicitação”; Depois que você confirmar seus dados, vai aparecer na página o motivo da recusa. Haverá uma opção para contestação. Faça a solicitação e aguarde. É válido ressaltar que não há um prazo determinado para o resultado da contestação sair. Caso o governo acate sua contestação, o benefício voltará a ser pago no mês seguinte.

Por que alguns auxílios foram cancelados? Os órgãos do governo federal cruzaram informações dos beneficiários com outras bases de dados e encontraram situações incompatíveis com os requisitos exigidos para receber o auxílio emergencial. Entre os exemplos estão pessoas com rendimentos acima do limite, com cargos eletivos, militares, servidores públicos e CPFs irregulares. “Em alguns casos, a situação de quem fez o pedido pode ter mudado e a base de dados ficou desatualizada. Por isso, o Governo Federal dá a oportunidade para as pessoas entrarem no site da Dataprev e contestarem o cancelamento. É o caso, por exemplo, de pessoas que estavam recebendo o seguro-desemprego, deixaram de receber esse benefício e passam a ter direito ao auxílio emergencial”, explicou a secretária nacional do Cadastro Único do Ministério da Cidadania, Nilza Emy Yamasaki.

Contemplados do Bolsa Família já estão recebendo a terceira parcela do auxílio residual. Sendo a oitava parcela no total do benefício. Esse grupo recebe o dinheiro nos dez últimos dias úteis de cada mês, de acordo com o final do Número de Identificação Social (NIS). Veja as datas restantes da atual parcela:

23 de novembro: beneficiários com NIS final 5

24 de novembro: beneficiários com NIS final 6

25 de novembro: beneficiários com NIS final 7

26 de novembro: beneficiários com NIS final 8

27 de novembro: beneficiários com NIS final 9

30 de novembro: beneficiários com NIS final 0

Por fim, confira as datas de pagamentos da 9ª e última parcela do auxílio emergencial para contemplados pelo Bolsa Família:

10 de dezembro: beneficiários com NIS final 1

11 de dezembro: beneficiários com NIS final 2

14 de dezembro: beneficiários com NIS final 3

15 de dezembro: beneficiários com NIS final 4

16 de dezembro: beneficiários com NIS final 5

17 de dezembro: beneficiários com NIS final 6

18 de dezembro: beneficiários com NIS final 7

21 de dezembro: beneficiários com NIS final 8

22 de dezembro: beneficiários com NIS final 9

23 de dezembro: beneficiários com NIS final 0

Para saber os demais calendários de pagamento do auxílio emergencial, acesse o site da Caixa Econômica Federal (www.caixa.gov.br).