cid311ª Delegacia do Departamento de Investigações do Narcotráfico (Denarc) realiza na manhã desta sexta-feira (18) uma operação policial para combater o tráfico de drogas sintéticas no Estado. Cerca de 100 policiais cumpriram nove mandados judiciais de busca e apreensão e sete de prisão temporária em Porto Alegre, Canoas e Cachoeirinha. O delegado Mário Souza diz que os principais alvos são estudantes universitários que vendem ecstasy, LSD e também maconha em festas eletrônicas.

Nesta sexta-feira, seis pessoas foram presas e outras 11 detidas durante a investigação. Um dos presos hoje estava em casa, uma mansão em área nobre de Porto Alegre.

O delegado afirma que todos os traficantes se conhecem, mas atuam sozinhos, como se fossem pequenas células de um grande grupo. No entanto, não existem líderes, são independentes.

A quadrilha já estava instalada na Serra e pretendia atuar também no Litoral Norte, já projetando a época de veraneio.

“A única união deles é o produto que vendem e o local onde vendem. Fazem parte do mesmo círculo de amizades”, acrescenta o delegado Souza.

Os entorpecentes são oriundos da Europa, a maioria, e também de Santa Catarina, estado que possui muitos laboratórios de drogas sintéticas. Souza diz que também foram identificadas encomendas do Paraguai.

O tráfico envolve pessoas de classe média e alta, já que um comprido de ecstasy é oferecido por R$ 50,00.