O Litoral Norte segue registrando um aumento no número de casos de Coronavírus. Segundo a 18a Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), nesta segunda-feira (7), a região ultrapassou a marca dos 24,6 mil casos de Covid-19, além de mais de 450 óbitos. Em janeiro já são mais de 2,3 casos (média de 121 por dia) e 50 mortes (média de 2,6 por dia). Só nos últimos sete dias foram registrados cerca de mil casos e 20 óbitos.

Osório segue como a cidade com mais casos por Covid-19 na região. A cidade contempla aproximadamente um quinto (19,2%) do total de casos confirmados e 12% do total de mortes por Covid no Litoral Norte. O município é o único da região a ultrapassar os quatro mil casos do novo coronavírus, até o momento. Segundo o Boletim divulgado pela prefeitura municipal no domingo (17), dos 12.716 testes realizados no município, 4.725 deram positivos, sendo 197 nos últimos sete dias. Dessas, 4.408 pessoas estão curadas (93,2%), 258 em isolamento domiciliar, cinco em tratamento hospitalar, além de 54 pessoas que acabaram falecendo.

Ainda segundo o Boletim, 7.924 testes realizados na cidade deram negativos e outros 67 aguardam o resultado. Treze dos 20 leitos de UTI do Hospital de Osório estão ocupados, sendo, 12 deles, com pessoas de outros municípios, o que não contabiliza para os números de Osório.

NÚMEROS

A taxa de letalidade da Covid-19 no Litoral Norte permanece em 1,8%, porém segue menor que a do Estado, que é 2%.  De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), o Rio Grande do Sul tem aproximadamente 506,9 mil casos da doença, com aproximadamente 10 mil óbitos. Em relação aos recuperados, o número já chegou a mais de 481,2 mil pessoas, o que equivale a 95% do total de diagnosticados com o novo coronavírus em todo o Estado. Vale ressaltar que aproximadamente 15,7 mil pessoas ainda seguem em tratamento domiciliar ou em Hospitais, em todo o RS.

REINFECÇÃO POR COVID

O Ministério da Saúde informou Na última sexta-feira (15), que existem quatro casos confirmados de reinfecção pela Covid-19 no Brasil. Destes, um ocorreu no RS. O governo do Estado não comunicou detalhes sobre a paciente, mas garantiu que este caso e os encontrados em São Paulo e no Rio Grande do Norte aconteceram por linhagens da doença que já circulavam no país.

Já no caso do Amazonas, a reinfecção constatada ocorreu por nova cepa do SARS-CoV-2. A Fiocruz, responsável por analisar os possíveis casos de reinfecção, identificou a variante em uma mulher de 29 anos de idade, com sintomas leves da doença. “A mulher foi diagnosticada com a infecção, pela primeira vez, em 24/03/2020 e, em 30/12/2020 (nove meses depois), obteve o segundo diagnóstico positivo para Covid-19 por RT-PCR”, comunica a Saúde. A segunda análise realizada mostrou um padrão de mutações, compatível com a variante do vírus SARS-CoV-2, identificada recentemente pelo Ministério da Saúde do Japão, mas de origem no Amazonas. Além deste caso confirmado pela nova cepa, o Brasil investiga um no estado da Bahia com a mutação identificado originalmente na África do Sul.

QUANDO É CONSIDERA REINFECÇÃO

Um caso de reinfecção da Covid-19 exige que o indivíduo apresente dois resultados positivos de RT-PCR em tempo real para o vírus SARS-CoV-2, com intervalo igual ou superior a 90 dias entre os dois episódios de infecção respiratória, independente da condição clínica observada nos dois episódios.