Um estudo apresentado nesta quarta-feira (26) pelo IBGE expõe a realidade e as deficiências da segurança pública gaúcha. O Estado possui o sexto pior índice de policiais militares (20.405 servidores) na proporção ao número de habitantes, o que representa um brigadiano para cada 547 pessoas. A região sul é a pior colocada no ranking nacional, sendo que Santa Catarina e Paraná apresentam números ainda piores.

A Organização das Nações Unidas (ONU) trabalha com o número de um policial militar para cada 250 habitantes como o ideal. No entanto, não observa especificidades dos países, como índice de criminalidade, cultura ou situação social. Mas, se o dado for considerado, apenas o Distrito Federal (1 por 194) e o estado do Amapá (1 por 199) apresentam números melhores do que o preconizado. A média brasileira é de 1 agente para 473 pessoas.

“Com esse número não dá pra dizer se a polícia funciona mal ou bem, mas é um dos indicadores”, diz a gerente da pesquisa do IBGE, Vânia Pacheco.

Já o especialista em segurança estratégica Gustavo Caleffi, afirma que é preciso aumentar o número de policiais em solo gaúcho, mas isso deve vir ligado a outras iniciativas.

“O maior problema está na legislação e na Justiça. Policiais estão desestimulados por prenderem constantemente as mesmas pessoas que não ficam presas”, destaca.

Polícia Civil

A pesquisa aponta que o Rio Grande do Sul também não ocupa uma posição confortável em relação ao número de policiais civis (5.540 servidores). O Estado conta com um agente para cada 2.015 habitantes e ocupa a 11ª pior colocação do país. Assim como no caso da polícia militar, os dados de Santa Catarina e do Paraná também são piores do que os gaúchos.

País

Ao todo, o país possui 425.248 policiais militares e 117.624 policiais civis. A região sul apresenta os piores índices na comparação entre o número de agentes e a população. Os melhores dados em ambos os casos pertencem à região centro-oeste, com destaque para o Distrito Federal.

Gênero

No RS, há 20.406 policiais militares, sendo que apenas 2.632 (13%) são mulheres. Na polícia civil, a diferença é menos gritantes. São 5.540 agentes, sendo que 1.865 (34%) do sexo feminino. No Brasil, há 425.248 policiais militares, 41.838 (10%) mulheres. Entre os policiais civis, há 117.642 servidores e 31.005 (26%) mulheres.

Distribuição

A pesquisa aponta que os critérios para a distribuição de policiais no Brasil atende a seguinte ordem: locais com maior concentração populacional, incidência de criminalidade, existência de presídios, proximidade com fronteiras, existência de polo industrial e comercial e “outros motivos”. Os dados são baseados em Plano de Distribuição Regional do Efetivo da Polícia Militar.

Segurança

A Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP) ainda não se pronunciou sobre os números.operacao