upload-20170118150936reuniao_samu_poaO Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do Rio Grande do Sul poderá ser chamado por um aplicativo para celular. A novidade, que será lançada em breve nas plataformas Android e iOS, terá como principal vantagem o pré-cadastramento de dados pessoais do usuário e a sua localização por GPS, o que dará maior agilidade ao atendimento. O aplicativo foi apresentado nesta quarta-feira (18) ao secretário estadual da Saúde, João Gabbardo, e ao secretário municipal de Saúde de Porto Alegre, Erno Harzheim.

Ao ligar para o Samu leva-se, em média, 90 segundos para que o atendente obtenha todas as informações de identificação do usuário, como nome e local. Com esses dados cadastrados no aplicativo, a estimativa é reduzir algo entre 20 e 30 segundos neste tempo. A nova ferramenta é gratuita e não substituirá o atendimento pelo telefone 192.

O aplicativo será um complemento ao serviço. Após baixá-lo, o usuário faz um cadastro, informando seu nome, data de nascimento e CPF. Ao precisar entrar em contato com o Samu numa urgência, o usuário abre o aplicativo no telefone, pelo qual pode chamar o serviço para si ou para outra pessoa. O programa faz a ligação para o telefone 192, automaticamente, e um atendente recebe a ligação, já com as informações básicas de identificação do usuário. Além disso, a pessoa pode marcar onde está por GPS ou deixar pré-cadastrados endereços favoritos.

Numa primeira fase, o aplicativo estará disponível para os 257 municípios atendidos pela Regulação Estadual, local que recebe as chamadas e aciona o socorro. Mais adiante, Porto Alegre e os outros 18 municípios que possuem o Samu e são atendidos por outras centrais de regulação também contarão com o suporte do aplicativo. Além da capital, há hoje centrais do Samu em Pelotas, que atende 11 municípios; Bagé, 5 municípios; e Caxias do Sul, que também recebe os chamados de Vacaria.

Texto: Ascom SES
Edição: Denise Camargo/Secom