SantaCasaSAPA Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre e a prefeitura de Santo Antônio da Patrulha assinaram, nesta terça-feira (04/11), convênio cujo propósito é a gestão do hospital do município com a parceria da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA). A solenidade ocorreu na Câmara Municipal de Vereadores da cidade do Litoral, que completa 206 anos de existência. “Pretendemos criar e praticar um modelo diferenciado de assistência ao Sistema Único de Saúde (SUS), integrando horizontalmente o cuidado ao paciente desde a rede básica municipal de saúde até o atendimento hospitalar”, explica o diretor-geral e de Relações Institucionais da Santa Casa, Julio Flávio Dornelles de Matos. A meta, complementa ele, é disseminar este modelo dentro do Rio Grande do Sul, beneficiando os 8 milhões de gaúchos que só contam com o SUS como alternativa de saúde. É a primeira vez que a Santa Casa implementa este modelo de atuação.

Matos destaca que o formato fornece à Santa Casa condições econômicas e financeiras de efetivar um contrato mais equilibrado junto ao SUS e a consequente ampliação do sistema. “Reafirmamos nosso papel social de atender o indivíduo menos favorecido”, enfatiza o diretor. Na medida em que estiver em funcionamento pleno, a ampliação dos espaços destinados ao ensino da saúde – a UFCSPA tem 17 cursos – vai favorecer que o hospital se converta em um centro de referência de assistência para o Litoral Norte, uma das regiões que mais cresce em nível econômico no Estado.

Inclusive, a relação de respeito e carinho que os cerca de 40 mil moradores de Santo Antônio da Patrulha desenvolveram com o seu único hospital, motivou a Santa Casa a aceitar o convite do prefeito Daiçon Maciel da Silva para gerir o equipamento inaugurado em 1951. “O alto valor social que a população concede ao seu hospital faz com que a Santa Casa, que também é comunitária, possa conectar seus compromissos em prol das pessoas mais necessitadas, fortalecendo a credibilidade, a humanização e a transparência nos esforços conjuntos”, defende Matos. “Tudo se resume a um relacionamento de confiança mútua entre a comunidade, estrutura política do município e Santa Casa a fim de que seja duradoura e permanente”, acrescenta o executivo.

Ainda neste mês, deverão ser firmados os contratos de operação propriamente ditos, quando a Santa Casa receberá o patrimônio. Pronto-atendimento, urgências e emergências começarão a funcionar a partir do início de maio, dependendo da liberação de alvarás.

Como vai funcionar o convênio:

O município de Santo Antônio da Patrulha cederá para a Santa Casa a infraestrutura do hospital e tecnologia hoje existentes. A Santa Casa assumirá a responsabilidade integral de replicar o seu modelo de gestão tendo a autossustentação como premissa. Será assinado contrato visando à assistência, pronto-atendimento, urgência e emergência tanto adulto quanto pediátrico, incluindo todas as necessidades de remoções.

Também será assinado contrato com o município visando à assistência hospitalar, internação, assistência ambulatorial, procedimentos cirúrgicos e serviço de diagnóstico e tratamento. Quando o hospital estiver operando em sua plenitude, estão previstas até 300 internações clínicas e cirúrgicas ao mês. A expectativa é de que serão mais de 300 cirurgias ao mês, entre eletivas e internadas, com ênfase oftalmológica e cirurgia geral.