upload-20160107095749brigadianos_2O governador José Ivo Sartori afirmou na manhã desta quinta-feira (7) que o governo do Estado restringirá a cedência de servidores da área da Segurança para outros órgãos que não na atividade fim. “Estamos estudando projetos e, inclusive, decretos para reduzir ao máximo a cedência de servidores da Brigada Militar, Polícia Civil, Susepe e peritos para outros poderes, órgãos com autonomia, municípios e mesmo dentro do Executivo”, declarou Sartori, em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade da Rádio Gaúcha.

A intenção é direcionar o maior número possível de servidores da Segurança para o trabalho de rua, ostensivo, para dar proteção ao cidadão. Em 2015, dos 800 cedidos, o governo fez retornar 500. Sartori afirmou que a Segurança é a principal preocupação de 2016. Frisou que as ações do Ajuste Fiscal Gaúcho visam ao equilíbrio financeiro das contas públicas, necessário para nomeação dos servidores concursados da área, que estão em estudo.

Até abril, a legislação referente aos desmanches ilegais, aprovada em 2015, deverá ser regulamentada. A medida pretende reduzir o roubo de veículos no estado.

“Reconheço o problema da Segurança. Também não estou satisfeito nem como governador, nem como pai de família. Tenho falado com governadores e a situação não é diferente nos outros estados. Mas não estamos assistindo passivamente. Tanto a Brigada Militar quanto a Polícia Civil têm feito mais com menos”, enfatizou.

O governador prevê que a regulamentação da Previdência Complementar esteja concluída em quatro meses. O processo passa pelo governo federal para ajustar todas regras, já que o modelo aprovado pela Assembleia Legislativa em 2015 segue o modelo da União. “Sei que o processo é muito lento, mas a gente resolve gradativamente”, ressaltou.

Texto: Mirella Poyastro
Edição: Léa Aragón/Secom