thumbO governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori (PMDB), afirmou na manhã desta quarta-feira, não ver uma perspectiva de o Estado sair em breve do ciclo de atrasos nos pagamentos mensais de parcelas da dívida com a União, que se arrasta desde abril. Desde aquele mês, o RS vem pagando as parcelas com atraso e sofrendo bloqueios dos repasses do Fundo de Participação dos Estados. “Isso vai bastante longe”, disse o governador, em claro sinal de que essa rotina não mude nos próximos meses.

O Estado passa por grave crise financeira, com previsão de déficit de R$ 3,6 bilhões neste ano. Em 2016, a previsão é que o rombo entre despesas e receitas chegue a R$ 4,6 bilhões. A previsão inicial era de um rombo de R$ 6 bilhões, que foi reduzido porque o governo conseguiu passar na Assembleia Legislativa um aumento de ICMS.

Em outubro, o governo estadual conseguiu pagar os servidores em dia, mas Sartori não descarta ter que recorrer ao parcelamento novamente no ano que vem.

Nesta manhã, Sartori falou rapidamente com jornalistas antes de participar de um evento na capital paulista. “É uma pena que a conjuntura econômica nacional, internacional e estadual não ajudem. Estamos, desde abril, fazendo um esforço extraordinário no sentido de privilegiar a manutenção da folha de pagamentos”, afirmou.