O prefeito Roger Caputi e o secretário Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Pecuária (SMMAP), Fernando Campani, participaram de uma live na noite de segunda-feira (7), por meio das redes sociais. O evento fez parte da programação da Semana do Meio Ambiente na cidade e teve como tema o Desenvolvimento Sustentável no município.

Uma das principais pautas do diálogo foi à revitalização da Lagoa do Marcelino, a qual, segundo o prefeito Roger, era “um sonho”, desde quando, ainda era vereador municipal. De acordo com ele, a “intervenção drástica” feita pelo Executivo, juntamente com a SMMAP, foi à única forma para que a Lagoa não secasse e conseguisse ser resgatada. “Queremos resgatar a condição da Lagoa com o tratamento do esgoto, fazendo com que o cidadão possa desfrutar do espaço, mas, ao mesmo tempo preservando e protegendo a fauna e a flora local”, declarou Caputi.

Para o secretário Campani, a Lagoa do Marcelino é o “coração da cidade”, visto que, o local armazena praticamente toda a drenagem da cidade, incluindo a da área urbana e do Morro da Borússia. Ele aproveitou para explicar o amplo trabalho que a pasta está tendo para limpar a Lagoa. “Precisamos retirar o excesso de sedimento orgânico do fundo (da lagoa) e colocar na parte de talude para evitar a ampliação de algas e, assim, evitar que espécies de peixes não possam se proliferar”, afirmou Campani.

O ideal, conforme Fernando afirmou, é que haja uma sincronia entre os elementos da natureza (aves, peixes, mamíferos, plantas, micro-organismos, etc.) e a população para que tudo funcione, como em uma “orquestra”. Porém, o resultado esperado só vai poder ser visto há longo, desde que “a drenagem que venha da parte urbana da cidade tenha menor quantidade de carga orgânica”, reiterou o secretário da SMMAP.

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

“Preservar a natureza é um retorno econômico para a cidade”. É com esse pensamento, que o governo municipal recebe os novos empresários que buscam se estabelecer na cidade. De acordo com o prefeito Caputi, Osório tem sido bastante procurado pelo setor empresarial, principalmente pela sua riqueza natural e também, na questão da localização geográfica. Para o Executivo a prioridade são os quesitos ambientais, sempre pensando em proteger o meio ambiente.

Um exemplo é a questão do projeto do Condomínio em Mariápolis, o qual, Roger fez questão de que os responsáveis, juntamente com o secretário Campani, buscassem a melhor solução para a realização da obra, sem que ela causasse danos ao habitat natural.

PROJETOS – Desde o início do atual governo, a Secretaria de Meio Ambiente tem realizados diversos projetos, sempre em busca do desenvolvimento sustentável. O Projeto Arborização vem realizando o plantio de mudas de árvores em praças e áreas verdes da cidade, incluindo os distritos de Atlântida Sul e Mariapólis.

A ideia é que a comunidade se interaja com o projeto, passando a cuidar das mudas após o seu plantio. Como é o caso de Atlântida Sul, onde os moradores estão ajudando a dar uma cara ao local, por meio do projeto ‘Praça Nossa’. Até o momento, 180 mudas já foram plantas na praça do distrito, as quais seguem sendo cuidas pela comunidade.

Além disso, a SMMAP distribui duas mil mudas de árvores para os produtores rurais fazerem o trabalho de reflorestamento. O objetivo é que até o final do ano sejam plantas duas mil árvores em todo o município. Segundo o secretário da pasta, o intuito é, a cada ano, poder aumentar gradativamente a plantação de árvores, fazendo com que Osório também seja conhecida como “a cidade dos verdes”.

Outro projeto idealizado pela secretaria é o aproveitamento de resíduos, incluindo o de objetos usados. Segundo o secretário Campani, o projeto ‘Reviver’, vai reaproveitar móveis velhos como sofás, camas e bidês e utilizá-los para criar novos objetos. O executivo pretende montar uma oficina, gerando uma fonte de renda para pessoas carentes e, posteriormente, possibilitando que esses novos produtos sejam comercializados na cidade.

PROJETO DE LEI – O secretário Campani aproveitou a ocasião para realizar o lançamento oficial do Projeto ‘Nasce uma criança, planta-se uma árvore’. A ideia é que a cada nascimento de uma criança ou adoção realizada na cidade, seja plantada uma árvore. Segundo o secretário do Meio Ambiente, a criança ao ser registrada, ganha uma carteirinha de ‘Amigo protetor da natureza’ e ela e a família passam a ser responsáveis pelo cuidado da árvore.

A proposta, que é inédita na região, já é realizada em outras cidades do país e, foi encaminhada a Câmara de Vereadores, para que vire Projeto de Lei e possa ser votado pelo Legislativo local. “Espero que (com esse projeto) possamos iniciar a cultura do zelo pela vida. Não só da criança e da árvore, mas da vida como um todo, aproximando o ser humano da natureza”, enalteceu Fernando Campani.

Foto: Divulgação