A Polícia Civil (PC) prendeu no sábado (27), um homem suspeito de estar envolvido na morte de Gabriela Lima Santana. A jovem de 21 anos era natural de Capão da Canoa e estava desaparecida desde o dia 13 de março. Na quarta-feira passada (24), a Polícia encontrou o corpo da vítima, todo esquartejado, dentro de uma mala, as margens da Rodovia do Parque, em Canoas (região Metropolitana).

O indivíduo de 23 anos foi preso em Florianópolis (SC). Segundo a PC, depois de receber uma denúncia anônima, o Departamento de Homicídios procurou a Divisão de Inteligência da polícia para localizar o endereço do investigado. De posse das informações, o delegado Robertho Peternelli, responsável pelo caso, obteve apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) catarinense para efetuar a prisão.

A principal suspeita de motivação para o crime é o envolvimento da jovem com facções. Em fotos nas redes sociais, ela aparece com uma tatuagem numérica na mão esquerda que seria a identificação de um desses grupos. Ao encontrar o corpo, a polícia constatou que essa identificação estava coberta por uma nova imagem. E o residencial onde teria ocorrido o assassinato é dominado por outra organização criminosa.

Depois que começou a investigar o esquartejamento de uma mulher que foi gravado em vídeo e divulgado em 1º de março, a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Canoas conseguiu identificar o local do crime: um apartamento do condomínio Arlindo Gustavo Krentz, na Rua Machadinho, no bairro Rio Branco. A polícia segue investigando o caso. Vale ressaltar que um suspeito de envolvimento no crime segue foragido e sendo procurado.


There is no ads to display, Please add some