celular-telefonia2A telefonia liderou a lista de reclamações em 2015 em todos os Procons do País. Levantamento da Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça (Senacon) aponta a telefonia celular (13,4%) e a telefonia fixa (9,5%) como os assuntos que mais fizeram os brasileiros procurar os Procons no ano passado.

Foram realizados 2,648 milhões de atendimentos em 2015, aumento de 6,3% em relação ao ano anterior, com média mensal de 220 mil consumidores atendidos. A maior parte das pessoas procurou o órgão para fazer algum tipo de reclamação (65%). O restante foi atrás de alguma consulta ou orientação.

No “top 5” dos assuntos que mais motivaram a procura aos Procons, ainda estão cartão de crédito (7,3%), TV por assinatura (6,9%) e banco comercial (5,7%).

As principais reclamações estão relacionadas a problemas com cobranças (39,2%), com contrato (17,3%) ou má qualidade dos produtos ou serviços (15,9%).

No ranking das empresas que mais levaram os consumidores aos Procons em todo País aparecem, por setor, Claro/Embratel/NET (telecomunicações), Itaú Unibanco (bancos), Ponto Frio/Casas Bahia/Extra/Pão de Açúcar (varejo), Samsung (indústria), AES Eletropaulo (concessionárias de energia), Qualicorp (saúde suplementar), TAM (companhia aérea).

O grupo das cinco companhias mais reclamadas, independentemente do setor, é formado por Claro/Embratel/NET (204.145 queixas), Oi (200.659), Vivo/Telefônica/GVT (165.048), Itaú (92.934) e SKY (89.273).

Os dados fazem parte do Boletim Sindec 2015, documento que reúne informações sobre as demandas dos consumidores apresentadas aos Procons integrados ao Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec). Fazem parte do Sindec 683 Procons espalhados por 531 cidades brasileiras.