O segundo semestre de 2021 promete trazer resultados mais positivos para as vendas varejistas gaúchas. A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS) observa que o atual cenário do varejo já demonstra um gradual avanço da aquisição de produtos pela população, incrementado por fatores como a nova rodada do auxílio emergencial disponibilizada pelo Governo Federal, o aumento da circulação de consumidores e o pagamento do 13º salário para os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

“Os últimos indicadores apresentados pelo IBGE, mostrando a recuperação do setor, nos permite acreditar em um crescimento do consumo, ao final de 2021, na ordem de 4% a 4,2% , na comparação com 2020. É um percentual considerável diante das grandes dificuldades que os comerciantes, especialmente os do Rio Grande do Sul, estão enfrentando desde março do último ano com as medidas restritivas de combate à pandemia da Covid-19”, ressalta o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.

O presidente destaca que o auxílio emergencial e o 13º salário dos aposentados e pensionistas do INSS ajudaram a aumentar o poder de compra da população, que direciona boa parte destes recursos recebidos ao comércio. Além disso, como o varejo é muito dependente da compra presencial, a maior circulação de consumidores, respeitando os protocolos de saúde e devidamente vacinados, é um fator que, certamente, vai ajudar a alavancar as vendas nos próximos meses.

 “Esse maior fluxo de consumidores foi percebido no Dia dos Namorados, a mais recente data comemorativa, que teve um resultado positivo para os lojistas gaúchos, com o volume de vendas sendo 15% superior ao registrado na mesma data em 2020. Outro fator importante para ampliar as vendas, especialmente dos segmentos de vestuário e calçados, extremamente afetados pelas restrições, é a chegada do inverno, que vai levar as pessoas a buscarem roupas e sapatos mais quentes para enfrentar as baixas temperaturas”, enfatiza Vitor Augusto Koch.

Outros fatores que devem contribuir para que as vendas cresçam no segundo semestre de 2021 são a ampliação da vacinação dos gaúchos e brasileiros, garantindo maior imunidade ao vírus causador da Covid-19, e as datas comemorativas que ocorrem nos próximos seis meses, como o Dia dos Pais (agosto), o Dia das Crianças (outubro), a Black Friday (novembro) e o Natal (dezembro).

Foto: Marcelo Ângelo