onibus-escolar-1Os dez veículos que realizam o transporte escolar em Cidreira estão, desde terça-feira, parados na garagem. Os motoristas iniciaram uma paralisação, alegando que a vistoria dos ônibus está vencida desde o início de setembro. Segundo a prefeitura trata-se, na verdade , de um protesto contra o corte de horas extras para todos os servidores, anunciado na semana passada.

A secretária municipal de Educação, Mercedes de Paula, explicou ao Litoral na Rede que nem ela, nem o prefeito Milton Terra Bueno tinham conhecimento do atraso nas vistorias. Os dois estiveram reunidos, nesta tarde, para tentar solucionar o impasse. Segundo Mercedes, os veículos estão passando por pequenos reparos e serão submetidos a inspeção específica para o transporte escolar, nesta quinta-feira, em Portão, no Vale do Sinos.

Aproximadamente 500 estudantes de seis escolas públicas de Cidreira utilizam  o transporte escolar diariamente. A Prefeitura estima que o serviço seja normalizado na próxima segunda-feira. A Secretaria da Educação orientou as quatro escolas municipiais a suspenderem as aulas ou abonarem as faltas dos alunos. Em relação às duas escola estaduais da cidade, foram enviados ofícios para que os estudantes também não sejam prejudicados.

A Prefeitura de Cidreira adotou o corte de despesas, incluindo as horas extras dos servidores, para compensar a queda na arredação e equilibrar as contas públicas, mas os salários estão sendo pagos em dia. Medidas de contenção de gastos também  foram anunciadas nos últimos dias por outras prefeituras da região, como Tramandaí e Imbé.