vacinaA campanha da vacinação contra a gripe está encerrada no Rio Grande do Sul e o Estado não atingiu a meta. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (13) pela Secretaria Estadual da Saúde. Apenas 85% do público-alvo se vacinou, contra a meta estipulada de 90%. No ano passado, o Estado chegou a 93% de imunização dos grupos prioritários.

Atingiram a meta: idosos (92%), indígenas (92%) e mulheres que deram à luz a até 45 dias (93%). Trabalhadores da área da saúde atingiram 80%. No entanto, dois grupos prioritários que ficaram abaixo da meta preocuparam as autoridades: crianças (68%) e gestantes (68%).

– Isso se deve porque não tivemos este ano tantos casos graves, internações e óbitos. A população costuma se vacinar quando o surto está presente, enquanto deveríamos fazer o contrário -, avalia o secretário estadual da Saúde, João Gabbardo dos Reis.

Até o momento, 14 pessoas morreram por gripo este ano no Rio Grande do Sul. No mesmo período do ano passado foram 170.

Para aumentar o percentual de imunização, a Secretaria já prepara mudanças para o ano que vem. Uma delas é não prorrogar mais prazos, e liberar a vacinação imediatamente ao final do cronograma da campanha para quem não é de grupos de risco. Também pretende pedir aos prefeitos que disponibilizem horários alternativos de funcionamento de postos de saúde.

– Os postos não podem funcionar como escritórios em horário comercial. Precismos que cada município tenha pelo menos um posto funcionando até 22h ou abrindo aos sábados -, diz Gabbardo.

O Estado ainda tem 63 mil doses sobrando. A Secretaria irá orientar os municípios que ainda possuem as vacinas contra a gripe espalhadas na rede de saúde que concentrem as doses em um único posto, para facilitar a localização pela população. Este ano, 3,6 milhões de vacinas foram aplicadas.

GAÚCHA